sábado, 27 de fevereiro de 2010

Costeletas de Cordeiro (Carré d'Agneau).

O prato pronto.

A preparação.

Antes de viajarmos para o Brasil no final de janeiro, vimos umas costeletas de cordeiro em promoção no Coop e o Mario decidiu leva-las. Quando nos demos conta, vimos que não daria tempo de prepara-las antes da viagem e decidi congelar a carne. Tive medo de não ser um bom negócio, mas o congelamento acabou não sendo um problema.

De volta para casa, em Zurique, preparei as costeletas logo que pude. Primeira vez que preparo a carne, então antes pesquisei um tanto no Google e Orkut. Depois de umas dúvidas tiradas, fiz uma síntese e preparei com o que tinha em casa. Deu certo e superou as expectativas (cheias de medo e dúvidas, hehe). Um medo que eu tinha era o tempo de forno. Acertei na medida, ufa!

O preparo foi o seguinte:

Macerei pimenta do reino branca, folha de louro e um pouco de alecrim. Passei sobre a carne e em seguida salpiquei sal grosso e despejei um fiozinho de azeite. Forrei a assadeira com menos de um dedo de vinho branco. Mandei para o forno 250 graus por 25 minutos.

Servi com arroz basmati (preparado da maneira brasileira, mais um pouco de açafrão para dar cor) e ervilhas frescas refogadas na manteiga. Sem perceber, ficou brasileiro: verde e amarelo.

2 comentários:

Eduardo Trindade disse...

Hum, que delícia, literalmente, descobrir este teu blogue! Adorei! E fiquei com água na boca, sabia?

Comandante Genário Peixoto Lins Junior disse...

Nao existe carneiro, cordeiro, seja lá o nome, melhor que o filé de carneiro desossado na braza feito pelo meu amigo Elmo no seu restaurante em Teresina-Piauí. E no segundo lugar, o carneiro ao leite de coco da minha amiga mazé nos lencois maranhenses...gente esse é o mundo da culinária...xau